3 Cases da Paralela Que Se Encontram
31 de março de 2021
Entrevista Exclusiva: Perfumista Jerôme Di Marino
6 de abril de 2021

As marcas que apontam para o futuro da Perfumaria Brasileira

É um consenso de que o brasileiro é um povo comunicativo. Mas já parou pra pensar que essa nossa personalidade vai além da expressão verbal?

Somos muito comunicativos também pela fala, dança, moda e… pelo olfato. O consumo de perfumes não é mero hábito de higiene adquirido culturalmente, ele também é manifestação, comunicação.

Não à toa, somos o país líder em volume de vendas de perfumes. E o 2º em valor de vendas, ficando atrás apenas dos EUA. E ainda, entre 2019 e 2023 estima-se um crescimento de 3.2% mesmo depois de um cenário de instabilidade (Fonte: Euromonitor 2020).

Acredito que toda essa efervescência da indústria nacional e a troca entre a comunidade da perfumaria são fundamentais para a inovação e a diversidade de fragrâncias que presenteiam os brasileiros, como é o caso de Aurora e Bossa, da Granado e tantos outros que trago aqui.

Em outros momentos, discorri a respeito das três ondas de crescimento que tivemos no mercado brasileiro, mas agora, considerando que Sustentabilidade, Experiência e Digital formam a tríade que regem a inovação, nesse artigo categorizo os cases que inspiram e norteiam o futuro da perfumaria nacional, dentro desses pilares. 

Sustentabilidade

Há urgência na busca por soluções mais responsáveis, como a busca por novas soluções no uso do plástico das embalagens, o uso de ingredientes renováveis e o estímulo à uma economia mais circular.

O conceito de Empresa B, criado em 2006 nos EUA pela B-Labs, também se inclui nessa categoria, já que visa como modelo de negócio o desenvolvimento social e ambiental. E o primeiro case aqui, só poderia ser do quarto maior grupo de beleza do mundo, Natura & Co que pouco a pouco vai certificando cada uma de suas marcas como empresas B.

Natura: Está no DNA da empresa desenvolver seus produtos considerando o impacto ambiental, despontando com a venda de produtos com refil, uso de vidro reciclado nos frascos e uso de álcool orgânico que, sem a queima do solo, libera menos CO2 na atmosfera. O fato de termos essa gigante brasileira como uma das maiores empresas B do mundo é um dos indicadores do quanto a nossa perfumaria assume responsabilidades governamentais. Aliás, Natura especificamente, foi reconhecida globalmente por engajar fornecedores sobre mudanças climáticas. Preciso ressaltar que além de levantar a bandeira da brasilidade, Natura & Co é um contraponto à preferência do brasileiro ao que vem de fora e, arrisco dizer, que “lá fora” não enxergamos tamanho compromisso social.

Além desse tão reconhecido histórico de ações que visam a sustentabilidade, entre as  novidades mais recentes está o lançamento do Kaiak Oceano que, além da embalagem composta por plástico retirado do litoral brasileiro, fará a expedição “Voz dos Oceanos” junto da Família Schurmman, com apoio global do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente para propagar sobre a preservação dos mares.

Kaiak Oceano, da Natura

AESOP: Permanece fiel às suas escolhas sustentáveis e está cada vez mais alinhada ao grupo Natura & Co, recentemente também tornou-se uma empresa B. Na identidade olfativa, as fragrâncias são mais singulares e nichadas, uma simplicidade sofisticada que apela ao essencialismo olfativo. 

The Body Shop Brasil: O ativismo da sua fundadora Anita Roddick ganha força nos valores centrais da marca, agora como parte do Grupo Natura & Co.Também certificada Empresa B, The Body Shop está engajada em temas contemporâneos centrais:  sustentabilidade, com o programa de plástico reciclados na Índia, proteção à  mulher com o projeto #isoladassimsozinhasnão em parceria com a NO MORE, uma organização de combate à violência doméstica e agressão sexual, manteve seu posicionamento original sendo sempre contra testes em animais e hoje é também 100% vegetariana.

Loja The Body Shop

Grupo Boticário: Em 2020, as marcas do Grupo Boticário, outro gigante da cosmética e perfumaria nacional, se uniram para trazer a discussão da Proteção às Florestas em suas redes sociais que juntas somam mais de 21 milhões de seguidores no Instagram. Mas a pauta não fica só no discurso. O Boticário tem deixado mais evidente seus esforços relacionados à sustentabilidade com programas como Boti Recicla, o maior programa de reciclagem em pontos de coleta do Brasil.  

L’Occitane: Em acordo com a Loop Industries, empresa especializada em inovação tecnológica no setor de plásticos reciclados, a marca L’Occitane en Provence prevê incorporar plásticos 100% reciclados em suas embalagens a partir de 2022. A projeção é de que a porcentagem de plástico reciclado nas embalagens de PET passe de 30% para 100% até 2025, ano fixado para que todas as suas lojas ofereçam o serviço de coleta de embalagens vazias de cosméticos.

Experiência

Naturalmente, vivemos um momento em que o ser humano está em transformação, sensibilização. Apesar do consumidor brasileiro seguir equacionando barato e caro, como efeito  da recessão, temos o perfil “smart shopper”, que aceita alguns produtos mais populares para não abrir mão de produtos mais identitários, personalizados e experiências mais diferenciadas.

Os brasileiros apaixonados por perfumes estão mais informados e educados sobre o tema, além do mercado local ter se sofisticado com fragrâncias e frascos mais inovadores, versões EDP, nomenclatura diferenciada e fragrâncias inovadoras. Vamos a um exemplo disso…

O Boticário: Campanhas que sempre tocam diretamente o coração dos brasileiros, principalmente nas datas comemorativas. Além da sensibilidade trazida nas campanhas, a experiência se eleva de forma mais pragmática nos espaços físicos d’O Boticário LAB, onde é possível protagonizar uma criação e fazer uma fragrância exclusiva no ScentLab.

The Blend Eau de Parfum apresenta um storytelling inspirado no processo artesanal de destilação, trazendo uma combinação de especiarias: cravo, canela, pimenta e noz moscada. Já a marca Linda Felicidade utiliza a neurociência para trazer ao consumidor um perfume que o deixe feliz, enquanto a marca campeã de vendas Floratta, se sofistica  com a variante Fleur, oferecendo a inédita versão  EDP em frasco remodelado.

Floratta Fleur Suprême, do O Boticário.

Neeche: No rol das iniciativas empreendedoras recentes, a Neeche Alta Perfumaria, é uma loja de perfumes com ares de galeria de arte, inaugurada em 2019 no shopping Iguatemi de São Paulo. A curadoria é afinada oferecendo marcas como Tom Ford, Loewe, Bond Nº 9, Escentric Molecules, Acqua di Parma. A Neeche foi trazida ao Brasil por Evelyse Britto, fundadora e diretora geral da Prestige Cosméticos, que já comandou marcas importantes do mercado de luxo como Chanel, Dior e Givenchy do Grupo LVMH e Tory Burch.

Grupo Granado: Como mencionei no início do artigo, Bossa, criado pela Perfumista Cécile Zarokian, era o floral solar que faltava ao mercado brasileiro e Aurora é o novo lançamento com ares Art Deco que chegou às lojas para a Páscoa, sim perfume para presentear como alternativa aos chocolates, e na sua formulação traz o ingrediente sementes de cenoura, que remete à íris. O resultado é uma fragrância seca cedro e confortável, ambarada, muito envolvente. Mas para além deles, todo o posicionamento de nicho do grupo traz fragrâncias diferenciadas, em embalagens encantadoras e lojas dedicadas à perfumaria Phebo. Aliás, a marca Phebo, que vende histórias que homenageiam o Brasil, recebeu do gigante espanhol Puig um aporte suficiente para dobrar sua capacidade produtiva e inaugurar uma loja na Rue des Francs Bourgeouis, uma das mais charmosas de Paris. Ponto para o Brasil!

Natura: Mais uma vez, começo por esse case e aqui trago exemplos diversificados. O primeiro, da loja conceito na Rua Oscar Freire, inspirada nos jardins de Burle Marx, além de casas de palafitas e pedras sabão das obras de Aleijadinho e Corcovado. Lojas quase que cênicas, imersivas, que exalam brasilidade. E assim seguem as lojas da AESOP, também da Natura & Co., em que cada loja é desenhada por um arquiteto de renome. 

Na comunicação, também preservam a brasilidade de forma muito autêntica, como todo o histórico da campanha Ekos. E aborda também assuntos sensíveis e atuais, como vimos a campanha de dias dos pais em 2020 com Tammy Miranda e grande repercussão ao trazer novos modelos familiares. 

Mais um ponto estratégico foi a escolha  há mais de 10 anos, por ter  uma perfumista in-house. Veronica Kato, que agrega de forma tão bonita aqui na Paralela Escola Olfativa, é a única perfumista estabelecida em uma empresa na América Latina e no Núcleo Olfativo da Casa de Perfumaria do Brasil, cria e co-cria fragrâncias únicas e com escolhas sustentáveis.

Veronica Kato, perfumista da Natura.

Avon: Aqui o case se abrange de forma geral para a indústria da beleza. A marca americana incorporada pela Natura &Co há um ano, está revelando a sua essência, nas palavras do CEO Daniel Silveira. O executivo estampou a capa da revista Exame com o rosto maquiado e feliz, já que no terceiro trimestre do ano passado, a Avon Brasil teve o primeiro crescimento em dez anos, respondendo por mais da metade da Natura &Co.

Tomar frente dos cuidados com o bem-estar feminino está há décadas no DNA da marca, seja com o Instituto Avon, abraçando a luta contra o câncer de mama e a violência contra a mulher. Agora, em 2021, se mantém ainda mais posicionada e próxima do público, por exemplo, patrocinando massivamente o reality show Big Brother Brasil 2021 e definindo o seu compromisso como empresa antirracista.

Daniel Silveira – Presidente Avon.

AMYI: Em 2020, a marca de perfumaria nicho direct-to-consumer (DNVB), idealizada pelas brasileiras Larissa Mota e Luciana Guidi, nasceu para proporcionar escolhas olfativas conscientes e transformar a perfumaria no Brasil, com inovação, total liberdade criativa para os seus perfumistas criarem com base em sentimento e afeto. Mesmo em meio a pandemia, a indicação na categoria “Perfume Independente” no 7º Annual Art and Olfactory reforça o sucesso da efervescência da perfumaria brasileira com reconhecimento internacional.

Digital 

Impossível falar de inovação sem entrar no espaço digital. Presença nas redes, Inteligência Artificial, APPs, big data, permitem um sem fim de possibilidades.

E considerando que as marcas brasileiras atualmente trabalham com os melhores perfumistas e ingredientes, contando ótimas histórias, essas possibilidades de inovação só se multiplicam.

AMYI: Falando novamente da startup como símbolo de inovação, após esse primeiro ano de lançamento, a marca ganha os holofotes novamente com a  “degustação” de fragrâncias – um kit com nove amostras de 7mL, fitas olfativas e, aqui onde entra a tecnologia – um folheto com QR Code que direciona o cliente para sua plataforma.

O Boticário: Em conjunto com a Symrise e IBM, desenvolveram uma inteligência artificial para Egeo. E em um ambiente fervendo inovação, que é a Campus Party, criaram um algoritmo para facilitar a criação de perfumes a partir da paleta do perfumista. No mesmo evento, inclusive, com apoio de uma experiência de realidade virtual, foi lançado o Quasar Brave, o único com álcool de saquê junto de chá preto. 

Quasar Brave, do O Boticário.

Natura: Pioneira na experiência de compra por comando de voz. Em uma parceria com o Google, é possível acionar o Google Assistente dizendo “Ok, Google. Falar com Natura” e iniciar essa experiência que, até então, é bastante irreverente, mas tranquilamente passará a ser habitual em breve.

E agora, sem mencionar grupo ou marca específica, a união entre o digital e a humanização se dá justamente por quem se relaciona com as ferramentas que estão nesse ambiente. Por isso, produtores de conteúdo digital são uma aposta precisa. A questão é que, para garantir a qualidade da informação que chega ao consumidor, não dá para fugir da lição de casa: convocar grupos especialistas em suas áreas que visam a informar e educar, com responsabilidade.

Educação. Talvez esse seja o elo entre a tríade da preservação da Sustentabilidade, do Digital com responsabilidade e das Experiências inovadoras. Acredito, inclusive, que grande prova de que há espaço para ousar e inovar na perfumaria nacional seja justamente o fato de uma escola olfativa francesa, de renome, que é a Cinquième Sens, ter chancelado a primeira escola olfativa brasileira. É o que chamo, há 8 anos, de Paralela Escola Olfativa. 

Cheirosamente,

Alessandra Tucci.

Paralela Escola Olfativa
Paralela Escola Olfativa
Uma escola livre que nos inspira não só a pensar ou fazer diferente, mas a sentir. Somos a única no Brasil a oferecer certificado pela Cinquième Sens (escola francesa com 43 anos de atuação na França e presente em mais de 10 países) e a pioneira no Brasil, em que sentir para entender a perfumaria é a principal metodologia. Não ensinamos fórmulas prontas: ensinamos a pensar, a ousar. Nesses quase 8 anos de atuação, recebemos mais de 1200 alunos na nossa sede, em São Paulo, e os incentivamos a olhar para a perfumaria em todos os ângulos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat