Qual a fórmula da Sustentabilidade?

Essa é uma  pergunta para ativar as ideias antes da primeira semana de Junho – A Semana Nacional do Meio Ambiente. Em 2022, completam-se os 50 anos da Conferência de Estocolmo, que determinou o dia 5 de junho como Dia Mundial do Meio Ambiente.

A palavra já movimentou milhares de notícias e estratégias de marketing no mundo todo, mas nem sempre o greenwashing é visível para o consumidor final. Esse “marketing de aparências” é uma estratégia apelativa de empresas que dizem ser sustentáveis, mas que não cumprem de fato seu compromisso com a natureza com a seriedade e rigor necessários como prometem.

É por isso que a Paralela está sempre de olho nas inovações do mercado e traz conteúdo detalhado e em linguagem simplificada para contribuirmos e aumentarmos a conscientização especialmente dos apaixonados por perfumes. 

Para começar essa conversa, um bom palpite para a fórmula de sustentabilidade seria: 

Sustentabilidade = Impacto + Inovação.

Precisamos, constantemente, analisar os impactos negativos e positivos das nossas ações no planeta. E “sustentável” é um conceito em constante evolução. 

Já a inovação é um dos fatores dessa equação que temos observado desde o nosso primeiro artigo sobre sustentabilidade.

Como diriam os cientistas, agora que descobrimos a fórmula, precisamos testar a veracidade dela nesse breve histórico sobre como a sustentabilidade colocou a perfumaria brasileira em destaque mundialmente quando o assunto é inovação

Um breve histórico

No começo do século XIX, as fragrâncias eram compostas por matérias-primas naturais (óleos, absolutos, resinas ou bálsamos) e moléculas sintéticas disponíveis na época – como a cumarina, molécula obtida a partir do cumaru, descoberta em 1820.

A partir de 1950, os perfumistas começaram a decodificar os efeitos olfativos dos naturais que usavam e confeccionar bases e acordes  autorais usando moléculas sintéticas recém-descobertas , sempre guiados por  sua imaginação e expertise técnico.

Nos dias atuais, a sustentabilidade, que começou com descobertas no laboratório, começou a experimentar novos materiais e engenharias para as embalagens de vidro das fragrâncias – como a iniciativa do Boti Recicla e da marca parisiense Floratropia.

Agora que chegamos até aqui e olhamos para o futuro: como pensar em sustentabilidade “além do frasco”? 

Ingredientes Naturais x Impacto Ambiental e Social

Durante minha palestra, esse ano, na Cinquième Sens, em Paris, um dos tópicos que mais gerou engajamento na discussão foi no ativismo das marcas brasileiras quando o assunto é sustentabilidade e diversidade

Apesar de algumas marcas de nicho internacionais apresentarem bonitos modelos de sustentabilidade, como é o caso da Sana Jardin, que descrevemos neste artigo, as campanhas brasileiras estão diretamente  vinculadas a causas sociais importantes, já as marcas globais, começaram esse movimento mais recentemente. 

Colheita de flores de laranjeira em Marrocos (sanajardin.com)

Mudanças a nível social

Além de proteger o ecossistema, é importante respeitar as tradições e culturas locais.

Há quase 20 anos, a Natura fez da sustentabilidade parte do processo de desenvolvimento de novos produtos e a cada novo lançamento, uma meta de redução de impacto ambiental era definida. 

É com essa inteligência de décadas que a Natura tem um leque de possibilidades sustentáveis para implementar em seus produtos: álcool orgânico (que não polui o ambiente por ser cultivado sem a queima do solo), embalagens recicladas e refis, utilização de plástico retirado dos oceanos e reutilizados em suas embalagens, ingredientes naturais desenvolvidos com a floresta e biomas brasileiros para gerar uma economia sustentável para as pessoas e ambiente, entre muitas outras.

Recentemente, a marca iniciou sua primeira cadeia de fornecimento a partir da Amazônia Colombiana, estendendo os horizontes dos territórios brasileiros e possibilitando o fornecimento de manteiga de Cupuaçu a comunidades colombianas por, pelo menos, três anos. 

Reunião do acordo comercial que prevê o fornecimento de manteiga de Cupuaçu de comunidades colombianas.

Melhoria de culturas profissionais

Falar de implementações sustentáveis pode dar a impressão de que tudo começa com ação da iniciativa privada, mas não é bem assim. Por exemplo, para muitos habitantes de Madagascar, a agricultura familiar é sua única fonte de renda, sendo que 50% da população vive abaixo da linha de pobreza

Você já se perguntou como vivem as famílias, que dependem da agricultura familiar, durante os períodos fora da colheita? 

Várias casas de fragrâncias possuem programas e atuam positivamente no cultivo da Vanilla de Madagascar,  oferecendo maior segurança financeira e alimentar, nas regiões que operam. Em recente viagem a Paris,  Ricardo Omori, Presidente mundial de Perfumaria Fina da Symrise, empresa alemã e uma das quatro maiores do setor de fragrâncias e aromas, explicou como eles deram um passo além e investiram no agronegócio através da aquisição de 200 hectares de terras em Madagascar para o cultivo de 20 ingredientes, o objetivo é manter o equilíbrio entre o interesse comercial nos ingredientes naturais de forma consciente e com especial atenção ao impacto local. Segundo Ricardo, a empresa tem hoje 20 professores no seu quadro de colaboradores, oferece alimento, suporte e educação como  parte das iniciativas da empresa, que se dedicou a entender quais as principais necessidades das comunidades locais mês a mês durante um ano.

Cura manual de grãos de baunilha (Symrise)

Sustentabilidade como ferramenta para movimentar negócios

Além de estimular a conservação de espécies e ecossistemas e viabilizar ações que implementem políticas públicas eficazes para a proteção da biodiversidade, a Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza acredita que, quando a natureza é conservada, não é apenas a biodiversidade que se beneficia.

Negócios e Biodiversidade podem (e devem) andar juntos. O meio ambiente tem um papel estratégico para o desenvolvimento do país. Ainda que a prática extrativista sem manutenção do ecossistema seja a maioria, a Fundação acredita que a mudança se dá pelo olhar diferenciado à natureza: ela é parte da solução para o combate a problemas econômicos e sociais. 

Para isso, incorporar a conservação da natureza à agenda de finanças sociais é essencial para que surjam modelos de negócio inovadores capazes de fortalecer ao mesmo tempo a economia e o meio.

Iniciativa sustentável pioneira da Fundação Grupo Boticário

Mapeamento da biodiversidade e estratégias sociais

A empresa química Dow, que tem a proteção do meio ambiente como um dos seus três pilares descritivos, anunciou a implementação do “Projeto Ybá: Conservação que Transforma”. Lançada em maio de 2021 e em parceria com a Natura, a iniciativa tem colaboração com o Instituto Peabiru e The Nature Conservancy (TNC) e visa mapear a biodiversidade vegetal e social da área de floresta amazônica preservada pela Dow em seu complexo industrial local, no Pará. 

O objetivo do projeto visa descobrir novos bioativos e contribuir para o aumento da renda familiar na comunidade através da capacitação dos moradores locais para a construção de uma cadeia produtiva de bioeconomia.

Essa extração sustentável de bioativos de interesse ao mercado, utilizados na indústria de cosméticos, acaba fomentando o desenvolvimento local e contribuindo para a valorização e conservação da Floresta Amazônica. 

Todo esse movimento humano para a manutenção da natureza traz reflexos claros na perfumaria: novas matérias-primas, efeitos olfativos diferentes e um compromisso com o futuro do planeta cada vez mais assertivo. 

Frame do vídeo apresentando O Projeto Ybá

Mudanças na composição

Produtos cosméticos sem água na formulação é um tópico cada vez mais quente, principalmente para marcas e profissionais da perfumaria. Com o número crescente de produtos “waterless”, é de se pensar que até uma tendência sustentável pode cair na rotina. As marcas precisam constantemente se diferenciar. 

Um exemplo disso é da marca sueca Oquist Cosmetics, que promove um movimento chamado “skinterior” – uma mistura de skin (pele) + interior (de design de interiores) – e “waterless”. Diferente da média dos produtos de skincare, que normalmente levam mais de 90% do ingrediente na composição, o produto final é uma verdadeira obra de arte, pois são armazenados em refinadas embalagens de argila que podem servir de perfil para novas composições ou se tornarem artigos de decoração.

Produtos Oquist feitos com argila para armazenar seus cosméticos (https://oquistcosmetics.com/)

O próximo destino para o movimento waterless é conquistar o mundo dos perfumes. Coisa que a Glossier, lá em 2018, já fazia com a edição limitada “You”. Hoje, é possível adquirir a versão sem água, em formato sólido e embalagem prática para viagens, nas principais lojas da marca. 

Perfume sólido You (glossier.com)

Biotech e Upcycling

A biotecnologia está no crescente foco das grandes empresas de matérias-primas de cosméticos, personal care, e perfumes, e inversamente estão as tecnologias de origem petroquímica.

De acordo com uma entrevista dada pela Firmenich, ingredientes produzidos através da biotecnologia são uma das formas de suprir a crescente exigência dos consumidores por produtos mais renováveis e soluções sustentáveis. Como exemplo, a multinacional suíça criou o Dreamwood®, uma molécula sintética com efeito olfativo similar às notas de sândalo e o recente Muguet Firgood®, molécula cativa direcionada à perfumaria fina que foi possível de ser sintetizada através da parceria da Firmenich com a francesa Jungle, empresa que cultiva vegetais para alimentação, perfumaria e cosméticos em fazendas verticais.

Lírios-do-vale crescendo nas fazendas verticais da parceria Firmenich + Jungle (Firmenich)

A biotecnologia tem muitas vertentes e aplicações dentro e fora da perfumaria. Uma delas é a biotecnologia branca, e é totalmente relacionada com a criação de produtos com menor impacto ambiental. Através dessa tecnologia sustentável, a Sensegen, fornecedora de ingredientes, em parceria com a Conagen, empresa de biofabricação de matérias-primas, foram capazes de criar um novo musk que utiliza células e organismos vivos.

 O Plantarome™ M é a primeira fonte biotecnológica de musk, uma opção estratégica potencial para o mercado, que dispensa fontes animais naturais antiéticas para utilização e fontes vegetais muito caras para uso convencional.

Diferente da biotecnologia, que utiliza ferramentas laboratoriais, pesquisas e análise de dados para criação de novos componentes, o upcycling é o processo de reutilização de materiais já existentes e processados para criação de novos produtos com seus resíduos. 

Felizmente o upcycling está na moda e suas possibilidades de aplicação, imensas. A reciclagem de matérias-primas para utilização em fragrâncias pode vir, inclusive, de cadeias produtivas alimentares. 

É o caso da cúrcuma, uma matéria-prima convencionalmente obtida pela indústria alimentícia exclusivamente pela curcumina contida em suas raízes. De acordo com a IFF, o processo de extração da curcumina produz resíduos secundários que ainda contêm todas as partes aromáticas do tempero de açafrão, que normalmente seria deixado para compostagem ou queima. Com notas especiadas, amadeiradas e frutadas, o Turmeric Root Ultimate™ Extract MD LMR nasce, justamente, a partir desses resíduos secundários da matéria-prima da cadeia de produção de curcumina que, de outra forma, seriam descartados.

As estufas do Laboratoire Monique Remy, da IFF com plantas para a pesquisa de futuros naturais. (IFF)

Além de serem sustentáveis, o upcyling e a biotecnologia estimulam a criatividade dos perfumistas com a abertura desse leque de novos efeitos olfativos. Mas essas ferramentas não são as únicas a colorir sustentavelmente a paleta de ingredientes dos perfumistas. 

Desde 2018, a Givaudan conta com a expertise de agrônomos para reduzir o impacto ecológico de seus materiais e fragrâncias. Em parceria com a Synthite, a multinacional de fragrâncias participou de um programa de cultivo de vetiver na Índia. 

Das areias de uma região do Sri Lanka, nasceu um vetiver com efeito olfativo intenso e de origem ética, trabalhando ao lado de parceiros e produtores locais diretamente no país de origem. Embora seja a mesma variedade de vetiver cultivada no Haiti, de onde sai mais de 60% da produção mundial, o novo ingrediente apresenta outras nuances olfativas – uma característica ligada ao solo, a práticas de cultivo específicas, mas também a um processo de destilação mais curto. 

Colheita do vetiver nas areias do Ski Lanka (Givaudan)

Como resultado dessas práticas verdes, o mercado recebe lançamentos do bem e criativos, além de mais alinhados com as expectativas do consumidor de um posicionamento mais sustentável por parte das marcas que consome. O debut das fragrâncias que utilizam upcycling se deu com o lançamento da fragrância I Am Trash, da Etat Libre D’Orange.

Frame da publicidade da fragrância I Am Trash

Perfumes com ingredientes sustentáveis lançados esse ano

Eau Rose Eau de Parfum – Diptyque

Lançada como a irmã mais velha do conhecido l’Eau Rose Eau de Toilette, a versão Eau de Parfum usa água de rosas damascenas que normalmente são descartadas durante o processo de destilação.

Tonka Blanc – L’Artisan Parfumeur 

A francesa L’Artisan lançou a disruptiva coleção Le Potager, que conta com ingredientes vegetais. Tonka Blanc tem em sua composição um ingrediente novo da Symrise, proveniente da reciclagem de resíduos da cadeia de produção alimentar e efeito olfativo da couve flor.

NARCISO Eau de Parfum Cristal

Composto com ingrediente proveniente de rosas recicladas, o perfume tem uma saída radiante de bergamota, que parece iluminar as pétalas suaves de flores de rosa desabrochando, combinada com um intenso acorde floral e o icônico musk de Narciso. 

Produtos LONGTAKE 

Saindo um pouco do eixo ocidental, temos Longtake: uma nova marca de beleza lançada pela Amorepacific, a empresa-mãe das marcas favoritas dos fãs de K-beauty LANEIGE, ETUDE, innisfree e outras. Os produtos de beleza da nova marca possuem uma fragrância amadeirada exclusiva, provenientes de madeira de carvalho reciclada.

O futuro da perfumaria

Todas essas estratégias são exemplos de como o posicionamento das empresas está evoluindo e impactando positivamente o planeta.  Se antes falamos que o futuro da perfumaria é verde, hoje complementamos: ele é verde, upcycled e biotech!

O ingrediente secreto para uma composição de sucesso é o reconhecimento das necessidades e princípios do consumidor final unido ao cuidado com a preservação do planeta para as gerações futuras… Esses são motivos para as marcas brasileiras de perfumaria serem referências mundiais.

Porém, alguns desafios são claros para o cenário do país. A sustentabilidade evolui conforme o acesso à educação, que bate de frente com o acesso econômico da população. 

Para ajudar nesse movimento, é preciso saber reconhecer fontes confiáveis de informação, ensinar e praticar a sustentabilidade no nosso dia a dia. Quanto maior o ativismo pela sustentabilidade, mais chances teremos de ter consumidores fazendo escolhas realmente conscientes. 

Perfume é extensão da pessoa – e hoje em dia, quem acredita na sustentabilidade, consumirá produtos de acordo com seus valores. Que esse artigo seja mais um passo de apoio à conscientização da importância da sustentabilidade nas fragrâncias.

Até a próxima!

Mais referências:

https://wwd.com/beauty-industry-news/fragrance/yves-saint-laurent-beaute-launches-global-sustainability-initiative-1235160730/

https://www.cosmeticsbusiness.com/news/article_page/The_sweet_smell_of_sustainability_How_fragrance_went_eco/170730

https://www.perfumerflavorist.com/events/event-coverage/news/21874486/update-perfumery-for-the-new-normal-sustainability-in-fragrance-now-on-demand

https://www.cosmeticsdesign-europe.com/Article/2022/02/17/Fragrance-sustainability-promise-with-technologies-and-tools-for-carbon-footprint-efficiency-the-future

https://www.cosmeticsdesign-europe.com/Article/2022/04/14/Fragrance-innovation-2022-focused-on-sustainability-digital-smart-tech-and-function-beyond-scent

https://www.glamourmagazine.co.uk/article/upcycled-beauty-fragrances

https://beautymatter.com/articles/future-perspectives-on-ingredient-and-sustainability-transparency

31 de maio de 2022

Sustentabilidade além do frasco: O desenvolvimento de perfumes mais conscientes.

Qual a fórmula da Sustentabilidade? Essa é uma  pergunta para […]
17 de julho de 2020

Viva, vegana, verde… e sem vidro – Conheça a marca Floratropia

Você está pronto para se desconstruir? Uma startup nova no […]